25/03/2010

Falar, Falar, Bojardar!

Mais um no consagrado estilo de ignorante snobe que não tendo aprendido português na escola, fala com os seus conterrâneos misturando termos noutra língua, os quais nem sabe sequer pronunciar. Não é o único. Há muito que nos corredores de Bruxelas e de Estrasburgo, os abortos dos políticos portugueses são criticados e objecto de risada por pretenderem falar em inglês com a pronúncia sabuja Norte-Americana. Na Europa, quando se fala inglês faz-se com a pronúncia correcta de Inglaterra, apátria da língua. Também os jornaleiros desinformadores, trouxas e ignorantes fazem idêntico, notando-se sobretudo como pronunciam todos os As como se fossem Es, sem a mínima noção da pronúncia correcta. Se não é estupidez de peneiroso ignorante, que mais poderá ser?

Transcreve-se aqui o texto dum e-mail proveniente dum correspondente muito adequado ao caso, contendo este clip de vídeo.

video

Vale a pena ver este parolo monhé a usar termos amarikanos!!!

A "nossa
Portugalidade" levada ao extremo pelo zeloso, certamente regiamente pago, gestor da PT.

Este "excelente" gestor consegue mostrar até à exaustão como se pode ser um produto acabado do "
Receituário" de Peter Pan. Como os incompetentes podem assumir um "ar" de grande competência apenas utilizando palavras complicadas ou adjectivos ligados entre sim SEM qualquer sentido.

E o que é muito grave, foi verificar que na audiência houve quem tirasse apontamentos!!!!!!!!!

A incompetência estava, afinal, nos dois lados ....

É este o príncipe dos gestores públicos!

Com gente desta craveira vamos de certeza sair da crise!


Autor: Arq. António Castelo Branco

6 comentários:

direitinho disse...

Nem sei que dizer.
Depois de tanta conversa parece que nada disse...........

A. João Soares disse...

Trata-se de um técnico de grande mérito na arte de ludibriar.

Quem gosta de esclarecer, diz a verdade, por forma a ser compreendido, usa uma linguagem simples para que todos o percebam.

Prelo contrário, quem quer ocultar a verdade, usa mentiras dissimuladas, «fumaça», evasivas, camuflagem, palavras invulgares, faróis que encandeiam, pois, dessa forma, cria logo de início um complexo de inferioridade nos ouvintes que acabam por perder o pouco sentido crítico que possuam e aplaudem com snobismo tanta e tão difícil erudição.

Isto é uma boa técnica para vender banha de cobra a parolos.
Os políticos são mestres nestas coisas, dizendo mentiras como se fossem dogmas, principalmente quando precisam de votos ou de qualquer apoio popular.
Cumprimentos

Mentiroso disse...

Devo acrescentar que à parte o caso focado no post, o indivíduo em questão é um tipo que aspira a ser moderno e parece esforçar-se por usar termos em voga.

Com o andar dos tempos, vimos o Cavaco (e não só), para além de acabar com agricultura, as pescas e outras fontes de riqueza nacional, também destruir a indústria. A indústria utiliza meios mecânicos, os quais, desaparecendo, diminuíram drasticamente o uso das palavras que lhes correspondiam. Simultaneamente, os espertalhaços dos jornaleiros e dos políticos começaram a usar essas palavras para descrições descabidas. Algumas são bem conhecidas e empregadas sem a mínima discriminação quanto ao seu real significado. Contam-se imensos termos de mecânica que nada têm a ver com o contexto em que são usados. Chama-se a quem os emprega iletrados presunçosos. O que é mais significante é que se transmitiu da jranaleiragem e politicagem à população e chegamos a ouvi-los daqueles que deveriam ser instruídos, mas que o não são. Será que um médico pode ser considerado instruído quando diz calinadas como biópsia e outras do género? Teriam também aprendido por gramáticas a que foram arrancadas as páginas sobre as contracções das preposições com os artigos e outra?

Fenix disse...

Caro Mentiroso!
Segui o conselho e vim espreitar!
É simplesmente asqueroso este homem!
Será que no currículo dele também consta todo este palavreado para impressionar os parolos?!
Estou em crer que sim. É o "yuppie"
no seu pior!
Mas é desta gente que andam à procura! É só ver os anúncios de ofertas de trabalho... Que asco!

Fenix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A. João Soares disse...

Caro Mentiroso,

Como português médio, sem tal sofisticação, fico embasbacado com tanta erudição, tanta sabedoria. Um espanto!!! Quando «ser» crescido, quero ser assim um perito no bojardar para ninguém me compreender e todos me aplaudirem pela minha genialidade.

Bolas! E aqueles basbaques não tiveram a coragem de lhe lembrar que estavam em Portugal, num organismo pago pelos portugueses que falam português!!! Faltou-lhes a coragem ou tiveram receio de dizer que não percebiam aqueles termos técnicos ou inventados só para causar efeito!!!

O tipo gozou à brava com os basbaques!!!

Ao que chegámos!!!

Um abraço
João