31/10/2010

Tirar para distribuir.

Orçamento do Estado

Todos os nossos governantes falam em cortes das despesas, mas não dizem quais, e aumentam os impostos a pagar pela malta.
Não ouvi foi nenhum governante falar em:
. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizá-los como no estrangeiro.
. Reforma das mordomias na Assembleia da República como, almoços com digestivos a € 1,50.
. Acabar com os milhares de Institutos e Fundações que não servem para nada e tem funcionários e administradores com 2º ou 3º emprego.
. Acabar com a acumulação de pensões de reforma milionárias, resultantes de diminutos tempos de exercício de um cargo.
. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores de milhares de euros mês e que não servem para nada.
. Redução drástica das Câmaras Municipais, Assembleias, etc.
. Redução drástica das Juntas de Freguesia.
. Acabar com o pagamento de € 200 por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e € 75 nas Juntas de Freguesia.
. Acabar com o Financiamento aos Partidos.
. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc que se deslocam em uso particular pelo País. No estrangeiro isto não acontece.
. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia.
. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros.
. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado.
. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e, respectivas estadias em Lisboa em hotéis cinco estrelas.
. Controlar o pessoal da Função Pública que nunca está no local de trabalho e que faz trabalhos nesse tempo, para o Estado.
. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos e com a quantidade anacrónica de assessores inúteis.
. Acabar com as várias reformas por pessoa, do pessoal do Estado.
. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP.
. E por aí fora. Recuperaremos depressa a nossa posição. Já estamos cansados e exauridos.

Nós contribuintes não temos que pagar isto tudo.

@Fernando Marques
Pulseira Electrónica

25/10/2010

O Grande Circo

Será que alguém terá ainda dúvidas sobre a aprovação do orçamento? Se alguém tiver só as poderá ser devido a nada compreender do que se passa à sua volta, de ignorar os interesse dos partidos e como eles estão a ser satisfeitos à custa do dinheiro que roubam aos contribuintes.

Mesmo um partido que não esteja no governo pode roubar os contribuintes de diversas maneiras, e a usada pelo PSD é das mais selvagens e atrozes.

O interesse do Coelho é o de que o orçamente seja aprovado. Já alguém pensou o que seria do partido se ele o rejeitasse e toda a população viesse a sofrer pesadamente por essa sua opção? Não seria que mesmo os mais tolos se dariam conta do que o partido, por mão do Coelho lhes infligia? O tolos deixam-se enganar fácil e constantemente pela demagogia e pelo feroz marketing político, mas passar cada vez mais fome e perder os seus haveres toca mais profundamente e desperta alguns mais.

O circo armado pelo Coelho é, pois, claramente um enorme logro para conseguir sacar mais votos dos lorpas enquanto os obriga a pagar bem caro com os aumentos de juros que tem provocado (nesta semana subiram constantemente) e de muitos perderem os seus bens.

Vamos lá, continuemos a ser carneiros e a lamber a mão que nos degola. Ser português não é também isso? pelo procedimento das massas nem resta dúvida de que é mesmo.

Aprenda-se como o Coelho tem gozado a população, aproveitado a ignorância provocada pelo conluio da desinformação jornaleira e a imaturidade política nacional que pensa viver em democracia para enganar quantos pode, aumentando-lhes a miséria, com a única finalidade de lhes sacar votos para poder roubá-los impunemente como até hoje todos os partidos no governo têm feito:

Pedro Coelho Chamou Estúpidos aos Portugueses.
Mais uma Vez. Terá razão?


Pedro Coelho Continua a Chamar-nos Estúpidos



Com uma população assim, todos os crimes dos políticos acabam abençoados pela carneiragem:

Os Partidos Políticos São Casas de Putas


Literalmente, o nosso sistema político é uma oligarquia pura que nada tem de democracia. É uma oligarquia constitucional com eleições, uma oligarquia absolutamente dentro da sua definição. Sem um controlo dos políticos por um povo que se queira soberano, não só não pode haver democracia, como não haverá maneira de parar com o regabofe estabelecido, pois que uma oligarquia oferece essa oportunidade. Promessas de políticos não têm qualquer valor, têm que estar consagradas numa constituição.

Os portugueses, tolos como sempre, defendem invariavelmente um partido contra os outros: o «seu», como no futebol, desprezando os seus verdadeiros interesses, que neste sistema eles nunca defendem, mas se serve. Desta forma, são os únicos culpados do estado do país e não são de lamentar pela miséria que sofrem, pois que a eles se deve. Aguentem-se, pois.


Outros artigos também nos blogs do autor (1 e 2).

24/10/2010

Porque hoje é Domingo. (24/10/2010)

O meu espírito exige, o meu corpo obriga, e quem quiser que leia. Será aos domingos, sempre aqui, neste espaço por mim explanado pontos de vista, fotos, vídeos, sobre a actualidade, uns com comentários, outros não, mas sempre actuais. Espero com isto, que os leitores deste espaço, debatam, opinem, dêem ideias, enfim, que barafustem se for o caso. Agradeço a todos também a sua divulgação, de entre os vossos contactos. Esta semana, trago-vos uma foto, espero que meditem e comentem sobre ela. A todos, um abraço e até para a semana, e por favor façam por ser felizes.

@Beezz
Carlos Rocha


Visita de Chavez a Portugal

20/10/2010

Também Os Juízes Nos Roubam

Se tivermos em consideração que é um abuso alguns ministros e outros chupistas e parasitas receberem indemnizações ou ajudas de custo indevidas por deslocaram a sua residência durante o tempo da governação ou da legislatura, ainda há muito piores.

Os juízes, mesmo habitando nas suas comarcas de trabalho recebem o mesmo subsídio.

Em todo o lado e como era antes em Portugal, os juízes tinham ordenados nivelados com os oficiais das Forças Armadas. Porque razão ganham agora o dobro ou mais? Que é que os faz merecer mais que os oficiais das FA? Alguém explica esta roubalheira que não acaba aqui? Têm um número enorme e desproporcional de privilégios e mordomias que os seus colegas de outros países não têm e que eles nunca mereceram nem agora merecem.

O mais inacreditável, por inconcebível, é que mesmo depois de reformados continuem a receber os ditos subsídios. Não pagam IRS sobre os subsídios. Literalmente um abuso e um roubo. Todavia, vêm agora os sindicatos destes parasitas incompetentes, arrogante e calões (segundo o Eurostat) reclamar a escaça medida que lhes foi aplicada. Deviam tirar-lhes tudo a que nos outros países não têm direito. Afinal, que são eles mais do que os seus colegas de países democráticos e avançados? E para justificar que esta porcalhotaria não é uma democracia, têm-se por «órgãos de soberania». Ou seja, não aceitam o povo como o único soberano. Isto, por si só, prova que se há outros soberanos que o povo, então não é nem pode ser democracia.

Em Portugal os grandes ladrões não são presos, só os pilha-galinhas ou alguém que roube um pão, como no séc. XIX. Que avanço fizemos?

15/10/2010

Alguém se candidata a Deputado na Suécia?

Como já referi, várias vezes, os nossos políticos copiam sempre os maus exemplos, em vez de copiar os bons. Na Suécia, e é verdade o que se passa no vídeo, porque já tive oportunidade de ver com os meus próprios olhos, os deputados, e políticos em geral, são isentos de luxos, e de mordomias. Reparem no vídeo, ao min. 1.08, o que diz um cidadão Sueco, consciente do que deve ser o papel dos servidores do povo. Depois, é só tirar as devidas conclusões...

05/10/2010

Viva a Carbonária!

Bandeira da Carbonária
Para os poucos que não conheçam esta bandeira, é a da Carbonária, uma organização criminosa de assassinos que se aproveitava da balbúrdia política, muita da qual fomentou, para satisfação de interesses ilícitos. Foi a maior organização criminosa nacional de há um século. Foram abençoados pelos fundadores da república. Como a sua bandeira nos revela, por ter sido adoptada para nacional, apenas com pequenas diferenças, formou a o núcleo do então Partido Republicano, impondo-se aos restantes partidos republicanos, dominando-os e tentando aniquilá-los para seu proveito.

Com idêntico sentido de justiça, de civismo e de honestidade, são agora apoiados pelo actual governo, que para essa comemoração estoira €10M [10 milhões de euros, distribuídos por três anos (2009, 2010 e 2011), segundo o portal do governo] do pouco dinheiro que os portugueses têm. Ou melhor, do que não têm, pois que muitos até as meias têm penhoradas. Como de costume, nada do que está mal é repudiado pelos partidos. Tal como a aprovação daquela lei do financiamento dos partidos, que não chegou a nascer, mas que todos os vigaristas do parlamento votaram menos um, aqui também nenhum contesta.

Já muito anteriormente a 1910, o Partido Republicano tinha conseguido juntar ao seu apoio a gente da mais baixa índole da época, não deixando de haver algumas excepções de crédulos bem intencionados. É também isso que se celebra com os nossos €10M. Por comparação, como diz o historiador Rui Ramos, assim como não se pode separar Salazar dos seus conhecidos pecados, que seria se estes fossem riscados e se passasse a citar unicamente as suas boas obras, como a construção das barragens e das escolas, o abono de família, o primeiro orçamento sem deficit após a catástrofe financeira nacional da república, a neutralidade que nos poupou à segunda guerra mundial e tantas outras obras dignas de mérito?